sábado, 7 de fevereiro de 2015

Meu primeiro dia de aula

Em busca da menina de cachinhos que sabia voar


Foto: Alina mayboroda


No primeiro dia de aula, eu era uma menina de três anos, ansiosa para ir à escola. Tinha grandes cachinhos de pontas douradas feitos à mão e usava uma fardinha marrom com amarelo.

Foi meu voo inaugural. E como eu queria voar... e conhecer o novo – os coleguinhas e a professora. Ter uma pastinha de tarefas e uma lancheira.

Mas eu queria mais. Sonhava com o dia em que as tarefas deixariam de ser feitas numa folha de ofício porque as séries mais adiantadas usavam cadernos pautados. E como eu queria ter um caderno e responsabilidades maiores condizentes com o meu potencial de aventureira na floresta cheia de perigos...

Então, ascendi ao meu primeiro caderno e, vendo meu irmão mais velho escrevendo de caneta... ahh... como eu queria abandonar o lápis e a borracha que, para mim, eram sinônimos de insegurança... Não me sentia amadora e sempre estava de olho no estágio mais avançado, fortemente confiante na superação dos próprios limites.

Não lembro bem em que momento perdi o fio que deveria unir a mulher de hoje à menina que usava uma farda com o desenho do Cebolinha, de Maurício de Souza, e que tinha tanto respeito por si própria. Olho para ela e sinto como se fosse outra pessoa.

Constatar isso é ruim. Traz uma sensação de perda enorme. Mas, contraditoriamente, também, é bom porque é real que somos a mesma pessoa e, em meu estado mais puro e natural, sem as camadas dos anos e das experiências de vida, bem lá no núcleo, há uma aventureira corajoso e autoconfiante.

Estou refazendo os caminhos como Joãozinho e Maria. Seguindo os pedacinhos de pão jogados no caminho. Ansiosa pelo reencontro e pela redescoberta do voo.


8 comentários:

  1. Uma viagem fica ainda melhor quando o caminho vale a pena. Seja indo, seja voltando, a estrada pode ser a melhor diversão. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, Simão. Boa reflexão. Às vezes é necessário retornar ao centro de tudo. Obrigada.

      Excluir
  2. Que seu reencontro seja em breve!! Amei o texto.

    ResponderExcluir
  3. Não me lembro do me primeiro dia de aula, mas lembro que meus primos mais velhos que lavavam meu lanche na hora do recreio. Açúcar, leite e nescau. Mexia com água e bebia. Ainda hoje faço isso, mas nem eles me levam mais, nem tomo no lanche da escola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ali estava a nossa personalidade mais bruta e pura. De vez em quando a gente se perde dela. É bom recordar os copos com resto de Nescau pela casa. Já fiz muito Nescau para você :*

      Excluir
  4. Pois eu já vi essa menina tantas vezes :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso que é bom te ter por perto <3 Algumas pessoas nos ajudam nas nossas viagens ao ventre da baleia. Meu grilinho falante.....

      Excluir