quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Exílio


silêncio
surdez
cegueira
a negação dos apetites

prá cá
prá lá
lugar algum
a negação da existência

ai de mim
nessa ilha desabitada
só do meu querer

ondas de palavras
sobre mim
e não me molham

a música do vai e vem
e não soam

indo e vindo
no mesmo espaço

assim, borbulha o mar
em que navega
a solidão do meu exílio

Nenhum comentário:

Postar um comentário